Vale testará caminhões autônomos na mina de Carajás 1

Vale testará caminhões autônomos na mina de Carajás

Durante o mês de novembro, a Vale começará realizar alguns testes com o objetivo de implantar grande caminhões autônomos no maior complexo de minério de ferro da empresa localizado no Pará, a mina de Carajás. Sim, esses veículos irão funcionar sem a presença de nenhum operador na cabine. 

A expectativa é que no início dois caminhões autônomos sejam colocados em uma área isolada da mina para que a empresa veja como será o desempenho deles. Cada um desses veículos possui 8,7 metros de largura, 7,4 de largura e 16,2 de comprimento. Vale ressaltar ainda que ele suportam até 320 toneladas.

Esses caminhões são controlados por radares, sistemas de computador, inteligência artificial e GPS. Além disso, são monitorados por pessoas que ficam em salas de comando. 

De acordo com Eugênio Lysei, líder do projeto de mina autônoma da Vale, o intuito do programa é ampliar ainda mais a segurança das operações e, além disso, gerar ganhos de competitividade, reduzindo gastos com manutenção, combustíveis e equipamentos, e beneficiar o meio ambiente. 

Isso porque com esses veículos a operação se torna muito mais precisa e eficaz, emitindo uma quantidade menor de CO² e gastando menos combustíveis. 

Lysei ressalta ainda que a empresa trabalhará com uma frota mista na mina de Carajás. Ou seja, os caminhões autônomos funcionarão junto com os veículos tradicionais. Afinal, os caminhões sem a presença de operadores só fazem sentido em uma parte pré-determinada da mina. 

Ainda segundo ele, os funcionários da Vale não precisam se preocupar, pois o programa não prevê nenhum tipo de desligamento de pessoas. O que pode acontecer é esses colaboradores serem alocados em novas funções compatíveis com essa inovação. 

É importante deixar claro que todo o projeto envolveu cinco anos de pesquisas e conta com um investimento de US$ 69 milhões até 2024.

A expectativa é que a operação definitiva com os caminhões autônomos comece no primeiro semestre do próximo ano.

Deixe um comentário