Uber e Hyundai planejam desenvolver táxis voadores 1

Uber e Hyundai planejam desenvolver táxis voadores

Na última segunda-feira (6), a Uber divulgou sua mais nova parceria com a Hyundai com o objetivo de construir táxis voadores. Na verdade, já existe até mesmo um protótipo, conhecido como S-A1, que foi mostrado durante um evento de tecnologia que estava acontecendo em Las Vegas, o CES. 

É importante deixar claro que esta é a mais nova parceria realizada pelo projeto Uber Elevate, principal responsável pelo desenvolvimento desse tipo de transporte.

Com a ajuda da Hyundai, a expectativa é que os primeiros testes de voo aconteçam ainda este ano e que as operações comerciais já estejam prontas para iniciarem até 2023

Tudo isso sem contar que além dos táxis aéreos em si, a parceria entre as empresas também prevê a construção de portos para que todas as operações possam acontecer de forma eficaz. 

Ainda não foram divulgados muitos detalhes a respeito da parceira, mas o que se sabe até agora é que a Hyundai ficará livre para desenvolver o seu conceito de táxi, devendo seguir somente alguns requisitos impostos pela Uber.

Em linhas gerais, um deles é que os táxis voadores precisam ser totalmente elétricos, podendo ser recarregados entre cinco a sete minutos, com espaço para até quatro passageiros

Além disso, a propulsão precisa ser silenciosa e distribuída por múltiplos rotores – tudo com o intuito de aumentar a segurança em situações de falhas, por exemplo. 

Outro requisito importante é que tanto a decolagem quanto o pouso devem ser verticais, e a autonomia da aeronave precisa ser de no mínimo 100 quilômetros, a uma altitude de 300 a 600 metros. 

De acordo com o diretor do Uber Elevate, Eric Allison, a Hyundai é a primeira empresa parceira da Uber que fabrica veículos de passageiros para o mundo todo. 

Por conta disso, o objetivo é que o desenvolvimento dos táxis voadores aconteça em uma velocidade nunca vista até então na indústria, mantendo a qualidade e produzindo em grande escala a fim de diminuir ao máximo o custo de cada viagem para os passageiros. 

É válido ressaltar ainda que no início das operações os táxis aéreos serão pilotados, no entanto as empresas pretendem que no futuro eles se tornem autônomos. 

Deixe um comentário