Startup cria forno de alta temperatura usando IA, luz solar e espelhos 1

Startup cria forno de alta temperatura usando IA, luz solar e espelhos

Amanda Araújo

A startup Heliogen precisou de apenas alguns espelhos, da inteligência artificial e da luz solar para desenvolver uma espécie de forno de 1.000°C.

A companhia que inclusive já recebeu investimentos de Bill Gates combinou um campo de espelhos e a IA para refletir os raios solares responsáveis por gerar esse calor de mil graus. 

É importante deixar claro que ao invés de utilizar painéis solares com o objetivo de capturar energia, o sistema criado pela startup usa a energia solar concentrada.

Apesar de não ser algo totalmente inovador, é a primeira vez que alguém consegue atingir temperaturas tão altas assim, ideal para produzir até mesmo aço e cimento. 

Tudo isso foi graças ao uso da inteligência artificial em todo o processo. Para isso, a Heliogen utilizou um software de detecção automática, de computação de visão, entre outras tecnologias mais sofisticadas com o intuito de treinar o campo de espelhos a refletir a luz solar em somente um ponto específico

De acordo com o CEO e fundador da startup, Bill Gross, ao alinhar por volta de mil espelhos em um único ponto, as chances de conseguir atingir temperaturas muito altas são realmente grandes.

Ele deixou claro também que mesmo em dias nublados é possível obter calor através do sistema, já que existe uma reserva. 

O melhor de tudo é que essa técnica pode ser uma das soluções para substituir a utilização de combustíveis fósseis, ou pelo menos reduzir em 60% do uso nas indústrias – seja para a produção de vidro, aço, cimento ou outros materiais. 

É claro que a consequência direta disso seria a diminuição significativa da emissão de poluentes

Ainda segundo Gross, o forno desenvolvido pela Heliogen já está sendo capaz de gerar energia o bastante para futuramente sintetizar hidrogênio em larga escala.

A expectativa é que um dia o hidrogênio sem emissão de carbono seja transformado em combustível tanto para aeronaves quanto para automóveis.

De qualquer forma, a startup por enquanto está totalmente focada em energia solar. No momento, o seu maior desafio com certeza é convencer as indústrias a investirem nesse novo sistema, que é muito mais sustentável.  

Deixe um comentário